Chamada para artigos : Dossiê Políticas Culturais e Crise no Brasil e América Latina

Tempo de leitura: 3 minutos

A Políticas Culturais em Revista, publicação eletrônica da Rede de Estudos em Políticas Culturais divulga a chamada de trabalhos para a primeira edição de 2017 que, além de artigos científicos e resenhas sobre Política Cultural e temáticas correlatas, contará com o seguinte dossiê temático: “Políticas Culturais e Crise”. Os investigadores responsáveis têm até 20 de abril para submeter artigos. Os textos podem ser escritos em português, espanhol, inglês, francês ou italiano.

Eixo Temático

Mesmo assumindo o conceito de crise como “delicado de se manejar”, em consonância com o teórico francês Michel Dobry, esta noção é largamente adotada nas ciências sociais a partir dos anos 1970 para referir-se a processos estruturais de caráter multidimensional, que impactam as diversas esferas sociais. Na praxis política na área da cultura – diante da incerteza estrutural e da ampliação da interdependência entre os setores, próprias das conjunturas críticas – são recorrentes as já sabidamente malsucedidas propostas de enfrentamento conservadoras, centradas na transferência de iniciativas culturais para empresas privadas, na secundarização do papel do Estado, na depreciação dos direitos culturais e no enfraquecimento dos mecanismos de participação social. Em 1987, Nestor García Canclini, já vaticinava que a crise que acometia as sociedades latino-americanas ao longo daquela década, agravada pela tentativa de superação com base no modelo neoconservador, reduzia as possiblidades de desenvolvimento cultural. Segundo o autor, justamente quando melhor se compreendia o papel que a cultura poderia cumprir para a democratização da sociedade, piores eram as condições de desenvolvê-la, redistribuí-la e fomentar a expressão e o avanço dos setores populares.

Mais recentemente, desde os primeiros anos do século XXI, a América Latina, e em especial o Brasil, é marcada por um intenso processo de institucionalização das políticas culturais, impulsionado pela atuação dos Estados-Nação e de organismos multilaterais. No entanto, a partir de 2008, uma brutal crise econômica se impõe novamente ao mundo suscitando uma profunda redefinição de valores que supera a economia e alcança um âmbito essencialmente político. Em outras palavras, a conjuntura crítica mundial e, particularmente, brasileira provocam mudanças políticas, sociais e culturais relevantes, reduzindo a autonomia, influenciando o comportamento dos agentes envolvidos e deslocando os espaços de confronto.

Este dossiê busca, portanto, atrair reflexões que se proponham a discutir a relação entre política cultural e crise no Brasil e na América Latina, em suas mais diversas e complexas facetas, assim como trabalhos que enfatizem as ações, e as interpretações dessas ações, perpetradas pelos protagonistas, buscando compreender o modo como as lógicas da situação interferem na trama das relações políticas. Ademais, pretende-se introduzir aproximações da complexidade como cosmovisão para interpretar as políticas culturais em contextos políticos fluidos, por meio de diálogos que desloquem o interesse teórico para os processos, em detrimento da análise de suas causas ou determinantes, configurando as formas de conhecimento – entre um ideal de simplificação, de apropriaçao-transformação e de conhecimento acabado e outro que aceita a multiplicidade, o relacional, o indeterminado e em construção – nas quais a América Latina e o Brasil tenham voz própria e contra-hegemônica.

Editoras responsáveis: Renata Rocha (UFBA) e Yadira Mellado (Universidad La Habana/USP)

Política Cultural em Revista é um periódico eletrônico semestral que aceita para publicação material inédito sobre Política Cultural e temáticas correlatas, na forma de artigos e ensaios resultantes de estudos teóricos e/ou pesquisas, bem como entrevistas e resenhas, além da divulgação de encontros, eventos, publicações e defesas de dissertações e teses.
Mais informações na página da Políticas Culturais em Revista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *